Educao e Cultura

Preveno

Polcia Civil e Cristo Rei se unem para alertar alunos sobre os riscos do uso de drogas

28/02/2014 14h43 - Atualizado em 28/02/2014 18h18

Rafaela Mazzola

Cerca de 900 alunos do Colégio Cristo Rei de Pedro Afonso participam de dois dias de palestras com o tema “Drogas: conhecendo a realidade”. A ação é uma iniciativa da instituição de ensino e conta com a parceria da Polícia Civil, da Polícia Militar, da Secretaria Municipal de Saúde, de órgãos ambientais e do Poder Judiciário. As apresentações, voltadas para alunos do 9º ano do ensino fundamental até o último ano do ensino médio, tiveram início na nesta quarta-feira, 26, e terminam na noite desta quinta-feirae, 27.

“Esse projeto faz parte de uma série de ações preventivas, que também é o papel da escola. As palestras estão no nosso calendário anual. É muito gratificante poder ajudar na conscientização dos jovens. Acredito que muitos adolescentes começam a experimentar drogas porque não tem consciência do risco”, explicaa a orientadora educacional do Colégio Cristo Rei, Alba Maria Brito Cardoso.

Na manhã desta quinta-feira, 27, o delegado da Polícia Civil de Pedro Afonso, Wlademir Costa, e o agente da Polícia Civil, Fransber Oliveira, abordaram por meio de vídeos e fotos os malefícios das drogas para o usuário e para a sociedade.

“Promover palestras sobre esse assunto é importante porque aguça a curiosidade e deixa os jovens intrigados. Eles ficam pensando e vão atrás de mais informações. A intenção é que os adolescentes se afastem e não utilizem esse tipo de substância”, diz o delegado.

Os jovens começam a ter contado com entorpecentes pela influência de amigos, problemas em casa, insegurança, necessidade de auto-afirmação, fuga de problemas e frustrações e para imitar seus ídolos.

Durante a apresentação, o delegado forneceu algumas características que contribuem na identificação de usuários de drogas, são elas: mudança brusca de comportamento, irritabilidade, depressão, queda no aproveitamento escolar, insônia, rebeldia, isolamento, mudanças de habito, desaparecimento de objetos de valor e más companhias.

“Só existem dois caminhos para quem está envolvido com drogas: a cadeia ou a morte”, alerta Wlademir Costa.

A aluna do 2º ano do ensino médio, Luciana Ferreira Mendes, 15 anos, considera que um dos fatores que mais influencia os jovens a serem usuários de drogas são as companhias. “Os adolescentes vão muito pela cabeça dos outros. É muito importante receber essas informações porque ajuda a gente a entender os efeitos das drogas e mostra o quanto é prejudicial”, relata a estudante.

No final da palestra os policiais expuseram amostras de maconha e crack, devidamente protegidas, para que os alunos pudessem conhecer de perto esses tipos de drogas.

Exemplos locais
Durante a palestra, o delegado e a orientadora educacional citaram a Operação Renascimento e o caso Lucas França para ilustrar fatos reais em que houve envolvimento com entorpecentes.

A Operação Renascimento prendeu 17 pessoas envolvidas com o tráfico de drogas em Pedro Afonso e região, de dezembro do ano passado a fevereiro deste ano. O delegado considera que a ação contribuiu para a diminuição dos casos de roubos e furtos na cidade e municípios vizinhos.

Já no caso Lucas Franças, o motorista do caminhão que colidiu com o veículo da Secretaria Municipal de Saúde, no qual estava o menino, teria ingerido substâncias alcoólicas no dia do fato, exemplificou o delegado. Lucas tinha sete anos e faleceu na última quarta-feira, 19, em decorrência de um Traumatismo Craniano Encefálico (TCE) causado pelo acidente.

Os dois casos são acompanhados pelo Centro-Norte Notícias.

Próximas ações
O delegado pretende dar continuidade nas apresentações e disse que a Polícia Civil está em contato com outras instituições de ensino para incluir as palestras nas ações escolares.

A orientadora educacional do Cristo Rei também informou que está programado para o mês de março, um ciclo de palestras sobre saúde da mulher com alunas e seus familiares. Os detalhes da programação vão ser divulgados posteriormente.