sexta, 09 de dezembro de 2016
22º Min 35º Max
Pedro Afonso - TO

Educação e Cultura

CULTURA SERTANEJA

Cavalgada: tradição passada de pai para filho

26/07/2015 10h51 - Atualizado em 27/07/2015 09h17
Cavalgada: tradição passada de pai para filho Henrique Lopes

Henrique Lopes

A Cavalgada em comemoração aos 168 anos de fundação de Pedro Afonso reuniu, no domingo, 19 de julho, 420 cavaleiros e amazonas e diversas pessoas que acompanharam, durante todo o percurso, o trajeto com entusiasmo.

A tradicional manifestação cultural é passada de geração para geração e encanta pessoas de todas as idades. Nada passa despercebido, sejam os arreios cheios de detalhes, a beleza dos animais ou os trajes dos participantes. Os organizadores preparam um espetáculo que agrada os expectadores durante a passagem de cada comitiva.

A advogada Luciane Trindade, 40 anos, aproveitou que estava passando as férias em Pedro Afonso para ir com a família acompanhar a cavalgada. Segundo ela, passar para os filhos esta tradição é fundamental para mantê-la. “É necessário cultuar a tradição e colocá-la à disposição das crianças, para que ela não morra, pois se não ensinar e colocar para frente acaba se perdendo. Ainda mais na visão cultural e da construção da cidadania”, frisa.

Os filhos Kamilly Beatriz, 9 anos, e Richard José, 5, acompanharam atentos toda a passagem e já aprenderam que a tradição deve ser mantida. “A cavalgada é tradição no Tocantins e eu acho muito bonito. Eu mesmo queria ter ido em um boi”, revela Kamilly. Já o Richard José ficou encantado com a bicicleta com chifres. “A cavalgado foi muito legal, até demais. Não sei o porquê a bicicleta tinha um chifrão” disse admirado o garoto.

Cultura sertaneja
Acostumada a acompanhar cavalgadas, a técnica em enfermagem Jessica Leão, 20 anos, conta que foi criada tendo contato com a cultura sertaneja e que hoje fica encantada pela simplicidade da cavalgada e a alegria das pessoas, cavaleiros e amazonas que mostram que o interior tem suas riquezas e que, para isso, não é preciso de muito.

“Meus pais nasceram em fazendas, e também sempre frequentei esse meio, gosto do campo. Então foi um pouco influência familiar, o gosto pela natureza e a tradição da cidade também que me fez gostar de acompanhar esse evento”.

Membro de uma das principais comitivas da região, o universáritário Carlos Eduardo, 19 anos, diz que organizar uma comitiva é como preparar um grande evento e que as crianças que são das famílias que compõem o grupo já nascem gostando da tradição.

“Na hora de organizar tem toda aquela emoção, frio na barriga, mesmo depois de tantos anos. As pessoas já nascem gostando da tradição, comigo foi assim, já nasci gostando desse meio, desde pequeno sempre ia passar todos os finais de semana na fazenda”, descreve Carlos Eduardo.

Premiações
A Cavalgada de Pedro Afonso foi organizada pela Prefeitura de Pedro Afonso. Ao todo 13 comitivas de toda a região participaram da cavalgada e as melhores foram premiadas em diversas categorias. Como maior comitiva o prêmio foi dado a Boiada 7 Ouro, de Bom Jesus do Tocantins. Já o grupo mais criativo foi o Sem Pareia, de Itapiratins. Na escolha da comitiva mais organizada ocorreu um empate entre a Carro de Boi (Guaraí) e a Chama no Laço (Tupirama).

Além da premiação das comitivas foram eleitos o cavaleiro, a amazona e boi destaque. O título de cavaleiro destaque foi para o Elias (Comitiva Santa Fé de Fortaleza do Tabocão); a melhor amazonas foi a participante Laís (Boiada 7 de Ouro) e o boi destaque foi o Simba, do proprietário Edmilson, da Fazenda Buriti Grande (Boiada 7 de Ouro).

Comitivas participantes
Carro de Boi (Guarai), Cowboy Soberano, Boiada 7 de Ouro, Fazenda Boa Esperança Domingão 38, Diamantina, Os Trumbica, Chama no Laço, Vão do Fei (Tupirama), Santa Fé (Tabocão), Agropecuária Tigrão, Sem Limites, Sem Pareia (Itapiratins) e Amigos/Tradição (Santa Maria).

Confira fotos da cavalgada clicando aqui.

 

Veja Também