quarta, 07 de dezembro de 2016
21º Min 34º Max
Pedro Afonso - TO

Educação e Cultura

PROCESSO PARTICIPATIVO

Pedro Afonso, Tupirama e Bom Jesus discutem Planos Municipais de Educação

25/06/2015 15h23 - Atualizado em 25/06/2015 15h40
Pedro Afonso, Tupirama e Bom Jesus discutem Planos Municipais de Educação Da Web

Nessa quaarta-feira, 24 de junho, venceu o prazo estabelecido pelo Ministério da Educação (MEC) para que todos os municípios entreguem seus Planos Municipais de Educação (PME), uma das metas estabelecidas pelo Plano Nacional de Educação (PNE). Os municípios de Pedro Afonso, Tupirama e Bom Jesus do Tocantins já concluíram seus planos que vão refletir a realidade e necessidade da região e não apenas cumpra uma exigência do MEC.

Elaborados num processo participativo de discussão entre os agentes da área de Educação, com ajuda da consultoria do CENPEC, contratado pela Fundação Bunge, por meio do Programa Comunidade Integrada, os PMEs trazem um planejamento para que cada cidade tenha diretrizes e políticas de atuação nos próximos dez anos.

Além disso, no processo de elaboração dos planos, foram desenvolvidas políticas e estratégia de atuação local a partir de um diagnóstico claro da situação da Educação nos munícipios, organizados com base nas estatísticas e registros concretos da região.

Entre as principais questões levantadas pelo o PME está o atendimento escolar para crianças de 0 a 3 anos (Ensino Infantil), que tem meta específica no PNE de atendimento a 50% até 2025. A grande questão para a região, e também para outros municípios do país, é o atendimento da população da área rural. Entre as diretrizes do PME estaria a criação de um transporte especializado para crianças desta faixa etária para tentar solucionar a questão.

Outro ponto, também relacionado à área rural, é a promoção da atração de jovens para o Ensino Médio. Pois, atualmente, a grande maioria desses jovens não frequenta a escola em função de estar envolvido com o trabalho na produção rural familiar.

Todos esses projetos demandarão mais recursos dos municípios, o que traz uma nova questão para a região que é a necessidade de mais participação dos Governos Estadual e Federal para o cumprimento dos Planos, tema também contemplado nos PMEs.

Esta é a primeira etapa para o cumprimento do Plano Nacional de Educação, aprovado em junho de 2014, que estabelece 20 metas para a área de Educação no país inteiro, que vão desde ampliação de oferta de vagas até valorização dos profissionais e inclusão da gestão democrática.

A Fundação Bunge desenvolve desde 2011 o Programa Comunidade Integrada que, entre outras ações, leva Formação Continuada de Educadores com cerca de 390 professores, coordenadores pedagógicos, diretores e técnicos das redes públicas municipais, fornece materiais pedagógicos e já construiu quatro espaços de leitura na região. Essas ações vêm refletindo nos indicadores do Índice Nacional de Educação Básica (IDEB), apontando melhorias na proficiência em Português e Matemática e uma considerável diminuição dos índices de reprovação nos três municípios.

Sobre a Fundação Bunge
Criada em 1955, a Fundação Bunge, entidade social da Bunge Brasil, atua em diferentes frentes, sempre com o compromisso de valorizar pessoas. Nossos programas buscam valorizar o passado, garantindo que os aprendizados vividos não se percam (Centro de Memória Bunge), transformar o presente com ações de desenvolvimento dentro de um tempo e lugar (Comunidade Integrada, Semear Leitores e Comunidade Educativa) e construir o futuro, premiando iniciativas que fazem a diferença (Prêmio Fundação Bunge).

(Da Ascom Fundação Bunge)

Veja Também