sexta, 09 de dezembro de 2016
22º Min 35º Max
Pedro Afonso - TO

Cidades

JUSTIÇA E CIDADANIA

Pedroafonsinos superam 241 inscritos e se destacam no Prêmio Innovare

04/12/2015 12h04 - Atualizado em 07/12/2015 17h45

João Paulo Bueno

O projeto de ressocialização socioambiental de Pedro Afonso ficou entre os destaques na final do Prêmio Innovare, o maior prêmio da Justiça do Brasil. O prêmio foi entregue na manhã da terça-feira, 1º de dezembro, em Brasília, e foi o resultado do trabalho feito com apenadas da Unidade Prisional de Pedro Afonso na construção de hortas e praças utilizando itens que seriam rejeitados no meio ambiente. O professor Fabrício Rocha e a policial civil Cristiane Lacerda receberam o prêmio. O trabalho dos pedroafonsinos ficou entre os três melhores do Brasil na categoria Justiça e Cidadania, o vencedor foi um projeto de Maringá, no estado do Paraná. Com 244 projetos inscritos, essa foi a categoria mais procurada. 

A defensora pública de Pedro Afonso e parceira do projeto, Teresa de Maria Bonfim Nunes, prestigiou a cerimônia. 

Intitulado de “Ressocialização Socioambiental”, o projeto disputou o título na categoria "Justiça e Cidadania" e foi criado com o propósito de aumentar a autoestima das reeducandas e fazer com que o tempo ocioso, da rotina prisional, se tornasse produtivo, além de socialambientalmente responsável.

Ao todo 20 reeducandas participaram do projeto que já fez um jardim ecológico e uma horta na unidade prisional. Entretanto, a ação se expandiu e as reeducandas também se mobilizaram para a construção do jardim da sede da Companhia de Polícia Ambiental e na nova praça ecológica da cidade, próximo ao Instituto Federal – Campus Pedro Afonso.

A ação também teve o apoio do juiz Milton Lamenha de Siqueira. 

Innovare 2015


Innovare 2015
Com o objetivo de identificar, premiar e disseminar práticas que tornam o Judiciário mais ágil, moderno e próximo do cidadão, a 12a edição do Prêmio Innovare encerrou o período de inscrições com um crescimento de 55% no número de concorrentes, em um total de 667 iniciativas – a edição anterior recebeu trezentas a menos. Com 244 inscritos, a nova categoria ‘Justiça e Cidadania’ foi a mais procurada. O projeto pedroafonsino foi inscrito nessa categoria. Nela, poderiam se inscrever práticas desenvolvidas por qualquer pessoa que desenvolva uma iniciativa que beneficie a Justiça do país.

Nas seis demais categorias, foram 423 inscritos: Advocacia (102), Juiz (77), Ministério Público (72), Tribunal (64), Defensoria Pública (44) e Premiação Especial, com 64 práticas, que teve como tema a “Redução das ações judiciais do Estado: menos processos e mais agilidade” e recebeu iniciativas de pessoas de fora do meio jurídico e que ajudam a desafogar o sistema judiciário.



Sobre o Prêmio Innovare
Criado em 2004 e com cerca de cinco mil práticas inscritas e mais de 150 premiados em seus onze anos de existência, o Prêmio Innovare é uma realização do Instituto Innovare, da Secretaria de Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça, da Associação de Magistrados Brasileiros, da Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), da Associação Nacional dos Defensores Públicos (Anadep), da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), do Conselho Federal da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), da Associação Nacional dos Procuradores da República e da Associação Nacional dos magistrados da Justiça do Trabalho (Anamatra), com o apoio do Grupo Globo.

De Pedro Afonso para o Brasil todo
“Com certeza temos a vontade de ver o projeto replicado no Brasil a fora, pois sabemos que o materiais reutilizados deixariam de causar danos ao meio ambiente e contribuiria não somente com a classe encarcerada, mas também a comunidade um todo”, vislumbrou Cristiane. “Podendo também, ser voltado a alunos das escolas publica e comunidades carentes”, finalizou Fabrício.
Conteúdo em atualização
 

Veja Também