quarta, 07 de dezembro de 2016
21º Min 34º Max
Pedro Afonso - TO

Política

FORTALEZA DO TABOCÃO

Após denúncia de João Tabocão, Flavinho nega irregularidades na realização de concurso público

21/05/2016 17h06 - Atualizado em 26/05/2016 09h55
Após denúncia de João Tabocão, Flavinho nega irregularidades na realização de concurso público Da Web

Foi aberto no último dia 2 de maio, pelo promotor de justiça Cristian Monteiro Melo, da 3° Promotoria de Justiça de Guaraí (TO), o Procedimento Preparatório nº 28/2016 para apurar denúncias de irregularidades na realização do concurso público para contratação de servidores pelo Município de Fortaleza do Tabocão.

O procedimento acolhe denúncia do ex-prefeito do município de Fortaleza do Tabocão, João Batista de Oliveira, conhecido como João Cirino, que acusa a gestão atual de ter firmado contrato, para a realização do concurso público municipal com o Instituto de Capacitação, Assessoria e Pesquisa (ICAP) sem abrir processo licitatório.

O promotor propôs uma série de recomendações, entre elas, a suspensão do concurso público, publicado através do edital 01/2016, em 17 de março de 2016, que busca preencher o quadro de servidores do município, com vagas destinadas a cargos de nível fundamental, médio, técnico e superior.

Prefeito diz ter respondido MPE
Nesta terça-feira, 24, o prefeito de Fortaleza do Tabocão, Flavinho, declarou ao Portal CNN ter “desmentido” o ex-prefeito João Cirino ao enviar cópias da documentação de todo o processo licitatório ao Ministério Público Estadual, inclusive a lei, autorizada pelo poder legislativo municipal, para a realização de concurso público no município.
Flavinho ainda lembrou que a realização do certame foi uma recomendação do próprio Ministério Público Estadual.

MPE segue investigando
Por meio da assessoria de comunicação, o Ministério Público Estadual declarou, também nesta terça-feira, que a Prefeitura de Fortaleza do Tabocão apresentou uma série de documentos solicitados e que, agora, o órgão esta analisando a documentação apresentada. O MPE ressalta que continua investigando as denúncias e acompanhando o andamento do certame.
 

Veja Também