quarta, 18 de outubro de 2017
22º Min 38º Max
Pedro Afonso - TO

Cidades

JUSTIFICATIVA

Após multa, Bunge diz: "fogo foi acidental”

23/07/2017 12h18 - Atualizado em 25/07/2017 16h35

Multada pelo Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins) em R$ 279 mil por crime ambiental em decorrência de uma queimada sem controle em uma propriedade na zona rural de Pedro Afonso, a empresa Ramata Empreendimentos e Participações S.A. - conhecida na região como Usina da Bunge, se posicionou na sexta-feira, 14 de julho, sobre o ocorrido afirmando que não realiza queimadas para a colheita da cana-de-açúcar "e, portanto, a informação de que a empresa iniciou a queimada no canavial não procede", diz trecho da nota.

Conforme a empresa, no dia 7 de julho, o fogo começou acidentalmente em uma área de plantação que já havia sido colhida. "A empresa possui um Plano de Emergência e ações de contingência e prevenção, que envolvem desde o monitoramento de canaviais por câmeras, ações educativas junto às escolas e comunidade, até a preparação e limpeza de aceiros para evitar o surgimento e a propagação de possíveis focos de incêndio. Além de caminhões-pipa, a usina possui uma brigada de combate a incêndio especializada e treinada, que já atuou inclusive em situações de emergência na cidade", explicou a empresa.

A Bunge afirma que combateu prontamente o incêndio, mas como a área estava muito seca, o fogo se alastrou rapidamente pela palhada da cana já colhida. "O cuidado com os recursos naturais e o respeito ao meio ambiente conduzem as ações da Bunge. Estamos comprometidos com a melhoria contínua na gestão ambiental em todos os locais e instalações da empresa", finaliza a nota.

Entenda

A equipe de Fiscalização do Escritório Regional do Naturatins de Pedro Afonso esteve no local e constatou que o fogo começou no canavial da empresa, destruiu uma área de 118,98 hectares, e em seguida atingiu uma área de reserva legal da Fazenda Boa Esperança, onde devastou 31,20 hectares do cerrado.

Os fiscais verificaram que até essa quinta-feira, 13, ainda haviam focos da queimada na região.

Essa foi a segunda vez que a Ramata Empreendimentos e Participações S.A foi autuada por esse tipo de crime. Em 2015, o Naturatins emitiu cinco autos de infração que totalizaram R$ 2.642.000,00 em multas à empresa.

Como acontece todos os anos, o Naturatins emitiu portaria suspendendo as Autorizações Ambientais de Queima Controlada. Entre os motivos da suspensão estão a ocorrência de ventos fortes, a falta de chuva, a baixa umidade do ar, além da massa vegetal seca, comuns no Estado nessa época do ano. Fatores que aumentam o risco de incêndios florestais. A medida visa prevenir danos ao meio ambiente.

Posicionamento da empresa

A Bunge esclarece que a usina Pedro Afonso (TO) não realiza queimadas para a colheita da cana-de-açúcar e, portanto, a informação de que a empresa iniciou a queimada no canavial não procede. No dia 7 de julho, o fogo começou acidentalmente em uma área de plantação que já havia sido colhida.

A empresa possui um Plano de Emergência e ações de contingência e prevenção, que envolvem desde o monitoramento de canaviais por câmeras, ações educativas junto às escolas e comunidade, até a preparação e limpeza de aceiros para evitar o surgimento e a propagação de possíveis focos de incêndio. Além de caminhões-pipa, a usina possui uma brigada de combate a incêndio especializada e treinada, que já atuou inclusive em situações de emergência na cidade. A empresa combateu prontamente o incêndio, mas como a área estava muito seca, o fogo se alastrou rapidamente pela palhada da cana já colhida, infelizmente.

O cuidado com os recursos naturais e o respeito ao meio ambiente conduzem as ações da Bunge. Estamos comprometidos com a melhoria contínua na gestão ambiental em todos os locais e instalações da empresa. 

Leia também

Bunge recebe nova multa por incêndio em área rural

Leia por Assunto: Bunge NaturatinsRamata Empreendimentos fogo multa
Veja Também