sexta, 15 de dezembro de 2017
23º Min 26º Max
Pedro Afonso - TO

Segurança e Justiça

IMPUNIDADE

Família de lavrador morto de forma bárbara em Lizarda pede justiça

23/11/2017 08h47 - Atualizado em 13/12/2017 10h13

Henrique Lopes

Cerca de dois meses após o crime bárbaro que chocou a comunidade de Centenário, cidade localizada a 320 km de Palmas, a família do lavrador Raimundo Lima Araújo, de 63 anos, assassinado de forma brutal em uma estrada vicinal do município de Lizarda, ainda sofre por não ter respostas sobre as investigações do caso.

Segundo a filha do lavrador, Deuzirene Curcino de Araújo, 30 anos, ela, os irmãos e a mãe estão indignados com a impunidade e o atraso das investigações. “Ninguém da família foi ouvido, o meu tio já tinha presenciado o suspeito ameaçando o meu pai e nem foi ouvido pela polícia”, revelou.

Outro questionamento feito pela filha do lavrador é que o caso foi transferido da Delegacia de Polícia Civil de Miracema para a Delegacia de Tocantínia e, desde então, não se teve mais nenhuma informação sobre o andamento do inquérito. “Desde que foi transferido para Tocantínia eu não consigo nenhum contato com o delegado. No dia do ocorrido foi realizada uma perícia no local e disseram para nós que o resultado sairia em 30 dias, mas até agora não temos nenhuma resposta”, lamentou.
Deuzirene destacou que a mãe ainda está muito abalada, principalmente por saber que o suspeito do crime, Edson Sousa Prado, 46 anos, que se apresentou em uma delegacia de Redenção (PA), no dia 03 de outubro, foi ouvido e liberado.

Na época, o suspeito alegou legítima defesa, afirmando que o que motivou o crime foi o ataque, com um facão, efetuado pela vítima. Versão contestada pelos familiares do lavrador. “Há pelo menos dois anos ele ameaçava o meu pai. Chegava a dizer para as pessoas que ‘só não matava esse velho por que, ele vivia com a esposa’. Ele já havia jogado o carro para cima da moto do meu pai quando ele estava com minha mãe na garupa. Também jogou para cima de um vizinho que tinha uma moto igual a do meu pai pensando que era ele”, contou Deuzirene.

Deuzirene revelou que na véspera do assassinato, o suspeito havia invadido a casa de outro rapaz, também com o objetivo de matá-lo, porém não encontrou ninguém na residência. “São tantas coisas que a polícia deveria investigar, tantas pessoas que deveriam ser ouvidas, que poderia ajudar na condenação dele”, disse revoltada.

Investigações em andamento

Procurada pela reportagem do Portal CNN, a assessoria de comunicação da Secretara Estadual da Segurança Pública nformou, por meio de nota, que o inquérito, que apura as circunstâncias da morte do lavrador Raimundo Lima Araújo está em fase adiantada e deverá ser concluído nas próximas semanas.
Ainda segundo a nota, a investigação foi transferida da Delegacia de Polícia Civil de Miracema do Tocantins para Tocantinía, pois é a delegacia do município a responsável pelo atendimento das demandas da região onde o crime ocorreu.

Ainda segundo a SSP, o delegado responsável pelo inquérito, Ricardo Real, aguarda a conclusão dos laudos pericias a fim de que os mesmos possam ser incluídos nos autos. A nota destacou ainda que mais algumas testemunhas serão ouvidas e diligências complementares serão realizadas a fim de esclarecer a verdade dos fatos, o mais breve possível.

Leia também:

Acusado de matar lavrador se apresenta e diz que cometeu crime por legítima defesa

Lavrador de Centenário é executado com tiros e golpes no tórax e pescoço

Veja Também