quinta, 18 de outubro de 2018
20º Min 32º Max
Pedro Afonso - TO

Por dentro do Agronegócio

PRECISÃO

Agricultores contam com sistema para aumentar produtividade e lucros

04/05/2018 15h37 - Atualizado em 07/05/2018 11h08

A agricultura de precisão é um sistema de gerenciamento agrícola que cresce no país e leva informações sobre conceitos, técnicas e vantagens ao produtor rural. A Coapa (Cooperativa Agrindustrial do Tocantins) atua para levar esses conhecimentos aos seus associados de Pedro Afonso e região, e, recentemente, firmou parceria com a APMax, empresa criada em 1999 que desenvolve uma tecnologia para resolver problemas de áreas de plantios de grãos.

O sistema está em praticamente todo Brasil, em alguns países da América do Sul e agora no Tocantins, graças a mais uma iniciativa pioneira da Coapa.

“Observamos que as produções de grãos não eram uniformes, a média produtiva estava distribuída em porções que davam muito mais e outras muito menos. Então precisávamos encontrar algum tipo de resposta para resolver esse problema”, explicou o criador do processo, José Roberto Zanquetha, especialista em fertilidade de solo/nutrição de plantas há mais de 32 anos no mercado, sendo 20 deles com agricultura de precisão e auditoria de produção.

O sistema funciona com softwares que geram mapas de produção pelo infravermelho fornecido por imagens de satélite e direcionam a coleta de solo com pontos georreferenciados e recomendações para aplicação, em taxas variáveis, de corretivos e fertilizantes, além de outros fatores que podem afetar a produção como nematóides e compactação.

Auditoria da área
“É feita uma verdadeira auditoria para buscar respostas conclusivas”, completou o consultor José Roberto Zanquetha, lembrando que as vantagens de adotar o método são imensas para o produto, desde a diminuição dos impactos ambientais até o aumento da lucratividade na lavoura. “Com as informações, o produtor investe seu capital de forma correta, no que realmente precisa, seja com calcário, adubos ou corretivos, otimizando os gastos. Isso dá condições para que a sua área produza de forma mais homogênea, elevando o teto produtivo”.

Ainda segundo o especialista, com a utilização da tecnologia, sojicultores dos estados do Mato Grosso, Bahia e Goiás, onde o sistema foi implantado há mais tempo, tiveram aumentos significativos de produtividade na Safra 2017/2018. “Este ano tivemos rendimentos que geraram mais de 120 sacas de soja por hectare, produtores que colhiam 60, passaram a colher 70 ou 80, depois 90. Várias recomendações de 100 sacas por hectares já foram geradas”, comemorou o representante da APMax.

Ao destacar a parceria firmada com a APMax, o presidente da Coapa, Ricardo Khouri, ressaltou que ela será benéfica para os produtores de grãos ligados à cooperativa, que terão acesso a uma tecnologia de última geração. “Essa aliança estratégica realizada entre a Coapa e APMax é uma verdadeira auditoria de produção. Atualmente é um sistema dos mais modernos para aumentar a produtividade baseado no pleno conhecimento de toda área agricultável de cada cooperado da Coapa, ou seja, busca-se uma padronização, uma uniformização, dos níveis de fertilidade entre todos os talhões da propriedade. Esperamos consolidar uma homogeneização da fertilidade dos nossos solos”, comentou Khouri.

O engenheiro agrônomo Eduarte Bonafede afirmou que os profissionais da Unidade Técnica da Coapa estão prontos para atender os produtores interessados em adotar o sistema que já está sendo executado em três propriedades rurais de Pedro Afonso, que cultivam soja, milho e sorgo. “Basta o agricultor nos procurar que prestamos todas as informações necessárias sobre o sistema, que é bem vantajoso para nossos cooperados”, afirmou Bonafede. (Ascom Coapa)


 

Veja Tamb�m