quarta, 17 de outubro de 2018
22º Min 31º Max
Pedro Afonso - TO

Política

ENTREVISTA EXCLUSIVA

Márlon Reis visita Pedro Afonso, prega "nova política" e apresenta propostas para a região

15/05/2018 11h33 - Atualizado em 22/05/2018 09h07
Márlon Reis visita Pedro Afonso, prega Márlon Reis conversa com o editor-chefe do Portal CNN, Fred Alves

Henrique Lopes e Fred Alves

Em visita ao município de Pedro Afonso com a caravana “Muda Tocantins”, o candidato ao Governo do Estado, Márlon Reis (REDE) concedeu, no dia 14 de maio, entrevista exclusiva ao Portal CNN onde falou sobre a corrida eleitoral, movimentação de campanha e as propostas para o estado e a região centro-norte.

Com uma proposta de uma campanha limpa e com o apoio de diversos voluntários, o ex-juiz e um dos criadores da Lei da Ficha Limpa, afirmou está otimista com os resultados obtidos durante as caminhadas pelas cidades tocantinenses e destacou que não há, em sua campanha, aspectos negociais, mas, sim, um discurso novo. “A política é um ambiente de negócios, principalmente no Tocantins. Nós não temos o aspecto negocial. A única coisa que contamos é com o discurso e o convencimento, em uma campanha muito diferente, de tal maneira que eu não sei o que caracteriza a campanha dos nossos adversários”, frisou Márlon Reis.

Sobre o novo discurso e sua forma de fazer política, o candidato revelou que a mensagem que quer passar aos eleitores é de uma nova postura política. “A minha mensagem é uma mensagem diferente, mas não é um discurso de ódio, uma mensagem radical, de desprezo as tradições políticas do Tocantins. É apenas um chamado para nova postura. O que tem possibilitado unir diversos segmentos”, argumentou.

Em relação a recepção dos tocantinenses, Márlon Reis afirmou que tem atingido os objetivos, principalmente por reunir grupos de apoios e pessoas voluntárias em todo o estado. “O que toca nossa campanha são os voluntários e estamos conseguindo aquilo que queríamos. Eu entendo que estamos sendo bem-sucedidos, já estamos além das metas planejadas. A realização das eleições suplementares nos ajudou imensamente a oxigenar a campanha. Primeiro, pois o governador Marcelo Miranda foi cassado com base em um dispositivo da Lei da Ficha Limpa e não deixa de ter comparações, de um lado um governador sendo cassado por corrupção, do outro um candidato autor da legislação mais rigorosa do Brasil, contra a corrupção na política”, avaliou.

Ainda segundo o representante da Rede Sustentabilidade, se houver um momento de indignação do tocantinense pela corrupção e velhas práticas políticas isso ocorre agora, no ano de 2018. “Isso explica as reuniões vazias de candidatos que estão com os bolsos cheios. O volume de dinheiro disponível na campanha dos adversários não está se traduzindo em tamanho da mobilização. Isso acontece, pois, a sociedade está muito indignada com as práticas”, destacou o candidato.

Corrida eleitoral
Trabalhando com um orçamento enxuto, Márlon Reis conta com o apoio de voluntários que se distribuem em diversas cidades do estado em campanha pelo seu nome. “Não pagamos agentes eleitorais, mas temos voluntários, que já são mais de 3 mil no estado e a campanha mais bem sucedida na internet, que tem um custo de publicidade baratíssimo. Além de grande receptividade em todos os lugares que chegamos”.

O candidato falou ainda dos valores pagos nas outras campanhas. “Nas outras campanhas é tudo feito por profissionais pagos, que são caros, para organizar toda a parte de logística, contato com a imprensa. Tudo isso demanda assessoramento caro, além do custo de pagar pessoas para apoiar. Conosco não existe nada disso, com apenas um real nós fazemos mais do que eles fazem com mil”, revelou.

Propostas para Pedro Afonso

Questionado sobre o projeto para o município de Pedro Afonso e a região centro-norte do estado, Márlon Reis foi enfático ao destacar o potencial agrícola da região. “Pedro Afonso é uma dos principais personagens da agricultura do estado, isso traz desenvolvimento para a região, mas numa escala bem menor do que poderia. Nós precisamos atrair a agroindústria, para processar alimentos a partir dos grãos que produzimos aqui. Isso vai gerar muitos empregos, além de fazer com que circule mais dinheiro na economia e agregar valor ao que é produzido em Pedro Afonso”.

O candidato frisa o bom relacionamento com os produtores pedroafonsinos e afirma que está mantendo diálogo com a classe para traçar metas e planos efetivos para o setor. “Temos um excelente diálogo com as lideranças da economia no estado, particularmente tenho ouvido muito o Ricardo Khouri, presidente da Coapa, e sei que o estado do Tocantins, assim como Pedro Afonso, pode ter um salto quando o governo parar de ser opositor do empreendedorismo rural e se transformar em um agente de promoção do desenvolvimento”.

Para ele, o papel do estado é intervir para aumentar a produção, renda e a oferta de empregos. “O Tocantins é totalmente privilegiado, localizado no centro do Brasil e com diversas opções de escoamento de produção que precisam ser aprimoradas ou concluídas. É o caso das hidrovias, da Ferrovia Norte-Sul e da BR-153, a Belém-Brasília”.

Outro problema citado por Márlon Reis foi o valor pago na tarifa de energia elérica. “Nosso estado, que é um produtor gigantesco de energia e exporta muita, fornece essa energia a um preço altíssimo”, frisou.

Apoiadores e representação

Referente ao apoiadores e as lideranças políticas que acompanham sua campanha, Márlon Reis defendeu que sua candidatura transcende o universo partidário tradicional. “Ela tem muito mais haver com princípios, com valores, com uma nova política, por isso eu não tenho dificuldade de ter apoio de pessoas do mais diversos partidos”.

Já sobre a falta de representação política de Pedro Afonso, um dos municípios mais tradicionais do estados com 170 anos de fundação, o candidato ao governo frisa que falta um projeto político autêntico para a região. “Pedro Afonso precisa de um projeto político e administrativo de alto nível e a partir desse tentar construir uma candidatura que realmente faça a união dos esforços de Pedro Afonso e região. Algo que seja capaz de unificar e superar as divisões tradicionais”.


O ex-juiz ainda afirmou que está disposto a participar da construção desse projeto. “Eu me coloco à disposição para auxiliar na construção desse projeto, sem nenhum envolvimento eleitoral ou partidário, mas como pedroafonsino, uma pessoa que ama a cidade e a região. Eu gostaria muito de colaborar com isso”, completou.
 

Leia por Assunto: Eleições 2018 Márlon Reis Pedro Afonso
Veja Tamb�m