quinta, 15 de novembro de 2018
23º Min 34º Max
Pedro Afonso - TO

Política

SEM RESPOSTAS

Moradores questionam atuação da empresa de água que atende Bom Jesus do Tocantins

07/11/2018 16h19 - Atualizado em 12/11/2018 14h21

Pela segunda semana consecutiva, o plenário da Câmara Municipal de Bom Jesus do Tocantins recebeu moradores da cidade. Na noite sessão ordinária realizada na noite da terça-feira, 6 de outubro, o número de participantes foi menor, porém não menos expressivo. Os moradores voltaram a cobrar do Poder Legislativo uma posição sobre as diversas reclamações referentes a atuação da empresa Hidro Forte Forte Administração e Operação Ltda, que assumiu a gestão do sistema de saneamento do município há cerca de três meses. (Leia mais aqui)

Mais uma vez, os moradores que reivindicaram as soluções para problemas como erros na emissão de faturas, falta de cadastramento, falhas no sistema de abastecimento, além da má qualidade da água e do cumprimento dos acordos feitos durante a audiência pública, ficaram sem respostas por parte dos parlamentares.

O presidente da Câmara de Bom Jesus, Josailto Andrade (PT), iniciou a sessão destacando que tanto os vereadores, quanto a gestão municipal se reuniram com representantes da empresa, ainda na tarde desta terça-feira, e questionaram as demandas dos contribuintes, mas a Hidro Forte teria solicita um prazo maior para prestar os esclarecimentos. “Devemos respeitar esse prazo, para depois tomar as providências. Estamos em contato com a gestão, que está buscando solucionar esse problema e a empresa garantiu que nos dará uma resposta sobre os questionamentos”, disse o parlamentar.

Já o vereador da base governista Valderlan (PMDB) afirmou que levou a proposta de suspensão das tarifas emitidas e que a empresa está avaliando a alternativa. “Todos estamos aqui para resolver esse problema. A prefeitura sugeriu ajudar a empresa a pagar a conta de energia para que não fossem cobradas as faturas da comunidade”, destacou o parlamentar, que lembrou que os problemas enfrentados pela população se prolongam durante anos.

Mmunicipal e a empresa Hidro Forte, irritou alguns vereadores da oposição. Felipe Neves (PR) questionou posicionamento dos colegas da bancada governista, que afirmaram que a empresa atua em mais de 17 municípios e trabalha de forma séria. “Se ela atua em todos esses municípios, há 16 anos, por qual motivo há falhas tão bruscas em Bom Jesus? As pessoas não estão reclamando de pagar água, mas sim do serviço que está sendo ofertado. Eu gostaria de ter trazido respostas, mas não tivemos”, argumentou.

Edmilson Rodrigues (PDT) alegou também falta de clareza da empresa. “Levamos uma série de questionamentos e não fomos respondidos. Convidamos para que o representante estivesse aqui e também não aceitou, enquanto isso a comunidade continua a sofrer com a irregularidade da empresa”, disparou.

Pedro Machado (PSB), ex-vice prefeito de Bom Jesus, frisou que ainda há muitos “coisa no escuro”. “Se a comunidade quer ir ao Ministério Público Estadual atrás de respostas, nós vamos”, declarou.

Comunidade cobra respostas

Com dezenas de tarifas de água em mãos, o pedreiro João Batista mostrou revolta ao falar da ausência da empresa na sessão. “Nós estamos buscando respostas e não temos, fazem uma reunião e continua sem uma solução. Vamos procurar os nossos direitos, já que não temos respostas”, destacou insuflando os ânimos dos cidadãos presentes.

Já o enfermeiro Bruno Neves, que nesta quarta-feira, 7, anunciou o desejo de disputar a eleição para prefeito em 2020, questionou a posição da gestão, anunciada pelo vereador Vanderlan, sobre o pagamento da conta de energia da empresa Hidro Forte. “Isso não é a suspensão da tarifa, mas sim uma manobra que a prefeitura está fazendo, uma barganha. Se a empresa não tem capital para investir, como ganhou a licitação? O dinheiro que a prefeitura pagaria a conta de água deveria ser repassado aos fornecedores que aguardam os pagamentos em pleno fechamento do exercício”, disparou Bruno Neves.

O empresário Caio César também provocou os vereadores sobre a falta de documentos e respostas mais claras à comunidade e abordou a falta de acompanhamento jurídico do Legislativo. “A gente não pode contar nem com a assessoria jurídica da Câmara, onde está o advogado, por quais motivos sempre que precisa ele não está presente? ”, argumentou.

Ao responder o empresário, os vereadores Felipe Neves e Edmilson Rodrigues afirmaram que o problema é rotineiro na Casa de Leis. “A gente não pode contar com a assessoria, infelizmente”, frisou Felipe. “Não temos assessoria, pois é a mesma da prefeitura, o que ele vai dizer?”, completou Edmilson.

O presidente da Casa de Leis e demais membros do Legislativo que fazem parte da base governista não responderam os questionamentos sobre as falhas no assessoramento e a duplicidade de funções do advogado que atende os parlamentares e a prefeitura,

Silêncio da base aliada
Apesar dos ânimos aflorados dos moradores, três dois vereadores da base governistas – Selene (PV), Pedro Sales (PSC) e Rafaela (PRB) – não se posicionaram em nenhum momento durante os debates, nem mesmo para declarar apoio às demandas da comunidade. Já à vereadora Marta (PDT) não compareceu à sessão.

Ao encerrar a sessão, Josailto garantiu que na próxima semana trará respostas aos bonjesuínos e as possíveis soluções aos problemas levados pelos moradores.

A reportagem do Portal CNN tentou entrar em contato com o prefeito Paulo Hernandes, para perguntar sobre os questionamentos feitos pelos moradores, mas até o fechamento desta matéria não obteve retorno.

Leia também:
Bonjesuínos reclamam de preços abusivos e da má qualidade da água
 

Veja Também