quarta, 12 de dezembro de 2018
23º Min 27º Max
Pedro Afonso - TO

Política

CRÍTICAS À ATUAL GESTÃO

Bruno Neves quer disputar prefeitura de Bom Jesus em 2020

07/11/2018 14h15 - Atualizado em 14/11/2018 14h54

Da Redação

Os últimos acontecimentos em Bom Jesus do Tocantins têm movimentado o município e também as lideranças políticas. Após uma série de debates sobre os problemas e irregularidades com a empresa que venceu a licitação para a concessão do sistema de abastecimento de água do município, que levou cerca de 100 moradores à Câmara de Vereadores para reivindicar os acordos feitos entre a executivo e legislativo municipal com a comunidade, durante a audiência pública feita em outubro de 2017, o jovem Bruno Neves afirmou que pretende concorrer às eleições municipais em 2020.

De família tradicional na política, Bruno Neves é filho do ex-vereador Cícero Neves e sobrinho de Tião Neves, também ex-vereador, e do ex-vice-prefeito Assis Neves. , afirmou que projeta liderar uma chapa que concorrerá ao Executivo nas eleições municipais. “Diante dos últimos acontecimentos que acometeram os cidadãos bomjesuínos, tenho recebido os conclames da comunidade para que a represente”, revelou com exclusividade ao Portal CNN.

Nascido em Bom Jesus, Bruno Neves tem 26 anos, é enfermeiro, tem formação no curso técnico em agropecuária e atua, também, como produtor rural. O jovem, que aspira o ingresso na vida política, é casado e possui dois filhos.

Bruno destacou a necessidade de resgatar a credibilidade do município. “Bom Jesus vem sendo chacota de outros municípios, tanto na questão de segurança, como em outras áreas como saúde, infraestrutura, assistência e até mesmo o incentivo ao esporte e lazer, coisas que até então são prometidas, mas não são executadas. O município precisa de um grupo que esteja realmente ligado às suas demandas e não apenas para servir de cabide de empregos para alguns aliados”, completou.

Atualmente Bruno Neves está filiado ao Partido Socialista Brasileiro (PSB), mas pretende se desvincular da sigla nos próximos meses, segundo informou à nossa reportagem.




Veja Também