quarta, 12 de dezembro de 2018
23º Min 27º Max
Pedro Afonso - TO

Cidades

PESQUISA ACADÊMICA

Sisapa tem melhor desempenho que a BRK e ATS

22/11/2018 15h17 - Atualizado em 03/12/2018 17h34

O Sistema de Saneamento de Pedro Afonso (Sisapa) obteve melhor desempenho em gestão de água do que empresas privadas e estatais entre os anos de 2013 e 2017. A afirmação foi constatada através de uma pesquisa realizada pelo acadêmico do curso de Engenharia Civil, Kayo Henrique Moreno Vanderlei, da Centro Universitário Luterano de Palmas, sob orientação do professor Carlos Spatacus da Silva Oliveira.

O acadêmico realizou um estudo comparativo da gestão de abastecimento de água de três cidades do tocantinenses, sendo elas Pedro Afonso, Tocantínia e Miracema do Tocantins, que contam com sistemas de distribuição e abastecimento de água administrados pelo Sisapa, Agência Tocantinense de Saneamento (ATS) e pela empresa BRK Ambiental, respectivamente.

Durante a análise foram avaliados os últimos cinco anos da gestão do abastecimento, levando em consideração aspectos como abastecimento, captação, preservação malha de distribuição, controles de perdas e formas de conscientização sobre o uso consciente da água.

A pesquisa concluiu que o melhor modelo de gestão de abastecimento é o aplicado em Pedro Afonso, pois, de acordo as conclusões, o Sisapa tem a disponibilidade de agregar seu faturamento em benefício para a população de forma a atendê-la no âmbito municipal. “Vale ressaltar que para cada metro cúbico de água tratada consumida, equivale a uma taxa mínima de R$ 1,50, sendo neste caso a menor entre as analisadas”, frisou o texto.

O estudo também revelou que em comparação aos outros municípios estudados, o sistema pedroafonsino tem melhor desempenho na distribuição de água, além das menores taxas em perdas anuais de tubulações nos últimos anos. “Seu atendimento atual chega a quase 100% da população. Isso foi comprovado quando comparamos a municípios como Tocantínia que está no seu patamar de atender 50% da população atual”, destacou o acadêmico.

Em relação ao consumo elétrico, as taxas de consumo da Sisapa caíram de 5,87% em 2013 para 0,72% em 2017, o que aponta uma otimização de recursos em comparação a gestão estadual que teve média estável de 2,47%, nos últimos quatro anos.

Conforme o universitário, a pesquisa começou em fevereiro e foi motivada pelo fato de que a população tocantinense viveu vários momentos de falta d'água nos últimos anos. “O Sisapa foi avaliado como uma produtora de água, onde no decorrer dos cinco anos avaliados melhor se apresentou em questão de administração dos seus recursos. Lógico que a mesma tem pontos importantes para rever, no entanto está no caminho correto”, afirmou o futuro engenheiro civil, que quer contribuir para melhorar as gestões de recursos hídricos do estado, um dos mais ricos no seguimento.

Ao parabenizar o estudo, o diretor do Sistema de Saneamento de Pedro Afonso, Edilson Júnior, ressaltou que o sistema pedroafonsino tem evoluído gradativamente. “É muito importante ter esse olhar de fora, ainda mais quando vem analisar o trabalho que fazemos no dia a dia de forma comparativa e construtiva. Muitas vezes, a gente acaba não fazendo essa avaliação de todo o processo de evolução. Receber uma pesquisa como essa é de grande valia não apenas para o Sisapa, mas para todo o município”.

Já o prefeito de Jairo Mariano (PDT) destacou que por meio do estudo a gestão pode avaliar os investimentos que foram feitos e sua efetividade na melhoria dos serviços prestados à comunidade. “A pesquisa mostra exatamente o período em que estamos à frente da gestão, isso é bom pois conseguimos visualizar o crescimento do sistema de uma forma diferente. Para nós é uma surpresa e orgulho muito grande receber essa pesquisa que aborda um tema fundamental na nossa comunidade: a água”, declarou Mariano. (Da Ascom Pref. Pedro Afonso)

 

Veja Também