Educao e Cultura

AO JUDICIAL

Aps liminar, estudante se matricula no curso de engenharia agronmica

25/03/2019 09h13 - Atualizado em 06/04/2019 16h52
Aps liminar, estudante se matricula no curso de engenharia agronmica
Joallison j est assistindo aulas no IFTO

Henrique Lopes

O estudante Joallisson Machado Neves, 18 anos, efetuou no dia 19 de março, sua matrícula na primeira turma do curso de Engenharia Agronômica do Campus Avançado do Instituto Federal do Tocantins de Pedro Afonso, após liminar expedida pelo juiz federal Aldemar Aires Pimenta da Silva, titular da 2ª Vara Federal do Tocantins, com sede em Palmas.

O jovem, que cursou integralmente o ensino médio no Colégio Cristo Rei, teve a matrícula indeferida pela comissão do vestibular, após solicitar sua inscrição pelo sistema de Cotas de Instituições Públicas, lei que garante que candidatos que tenham cursado integralmente o ensino fundamental e médio em escola pública, em cursos regulares ou da Educação de Jovens e Adultos (EJA), possam ingressar no ensino superior fora da ampla concorrência.

Joallison que foi aprovado no processo seletivo em 3° lugar pelo sistema de cotas e na 49° na ampla concorrência, teve a inscrição suspensa pelas cotas, pois, a comissão do vestibular alegou que o Colégio Cristo Rei seria conveniado. Entretanto, segundo entendeu o magistrado que concedeu liminar favorável à matrícula do jovem, uma vez que o Colégio Cristo Rei é mantido unicamente pela Secretaria da Educação Cultura e Esporte, ele é caracterizado como uma instituição pública.

Segundo a mãe do estudante, Jovina Neta Cruz Machado Neves, a ação judicial foi impetrada por perceber que o Joallison seria prejudicado, pois o mesmo havia ficado em terceiro lugar na concorrência de cotas. “A comissão do vestibular alegou que o Colégio Cristo Rei é conveniado, transferindo a concorrência do Joallisson para ampla concorrência, sendo classificado em 49º. Desta forma, não seria aprovado. Como somente o Colégio Cristo Rei atende o 2º grau, não podíamos calar diante de tamanha injustiça”, frisou a mãe, que tomou a decisão junto com seu esposo Juraci Neves.

Ainda de acordo Jovina, Joallison, que já teve a primeiras aulas, está “super otimista” com o ingresso na universidade. “Estamos muito felizes e sentimos muita gratidão a Deus que nos permitiu buscar ajuda de pessoas capacitadas para resolverem essa situação. Nossos filhos que estudam ou estudaram no Colégio Cristo Rei não podem ficar de fora de suas conquistas. Nosso colégio é público, portanto precisamos lutar por nossos direitos”, completou.