Poltica

OPINIO

BR-235: caminho de integrao e progresso

12/02/2019 10h12 - Atualizado em 12/02/2019 10h38

De proporções continentais, o Brasil necessita de maior integração entre suas regiões. Ampliar as conexões das regiões Nordeste e Norte com as demais áreas consolidadas e desenvolvidas do país, ou até mesmo entre si, deve ser estratégia e prioridade das ações da União e da articulação do Congresso Nacional.
De longe, o sistema rodoviário tem sido o principal elo entre as regiões brasileiras, embora apresente algumas falhas. Rodovias federais ramificadas às estradas estaduais e municipais têm possibilitado a circulação de mercadorias e pessoas por todo o Brasil, apesar dos vazios que distanciam pontos de ligações entre importantes polos e regiões.

Um desses vazios, que compreende as proximidades do ponto de divisa entre o Tocantins, Maranhão e Piauí, pode ser preenchido com a conclusão da BR-235, pleito defendido com ímpeto pela Associação Tocantinense de Municípios (ATM). A rodovia dará um novo passo de desenvolvimento ao Brasil e um rasto de progresso às regiões contempladas com a obra, além de possibilitar maior integração nacional.

A BR-235 é uma rodovia transversal que ligará Aracaju (SE) ao Campo de Provas Brigadeiro Veloso, em Novo Progresso (PA). De um ponto ao outro, atravessa os estados de Sergipe, Bahia, Pernambuco, Piauí, Maranhão, Tocantins, além do Pará, com uma extensão próxima a 1.800 quilômetros.

No Tocantins, do Nordeste ao Norte, a rodovia cruzará o território dos isolados municípios de Lizarda e Centenário, além de Pedro Afonso, Tupirama, Guaraí, Colméia, Goianorte e Araguacema, até a divisa com o estado do Pará. Nesse percurso, encontrará com a BR-153 e Ferrovia Norte Sul, ao contribuir para alavancar ainda mais a fama do nosso Estado enquanto área de localização estratégica para a integração entre importantes eixos de desenvolvimento do Brasil.

A BR-235 é considerada por representantes do Governo Federal e Congresso Nacional como uma das principais apostas de via de escoamento de produtos originados no Matopiba – fronteira agrícola de alta produtividade no Brasil. Ainda, é possível vislumbrar com a conclusão dessa rodovia a modernização e crescimento econômico e populacional dos estados e municípios contemplados com a obra.

Ao longo do seu percurso identificam-se importantes polos econômicos como Aracaju (SE), Juazeiro (BA), Petrolina (PE), Alto Parnaíba (MA) e Pedro Afonso (TO). Nessas localidades, a rodovia passará por complexos industriais de jazida de minério fosfórico destinada à produção de fertilizantes fosfatados, as áreas de concentração de comércios e indústrias, bem como as grandes plantações de soja e produções de insumos agrícolas.

Num viés turístico, A BR-235 permite a ligação rápida entre o centro do país e o litoral brasileiro, com passagem ainda pelo Parque Nacional Serra da Capivara, no Piauí, considerado importante patrimônio pré-histórico do país, além de toda história e atrativos naturais de Juazeiro e Petrolina. As belíssimas praias de água doce do Tocantins, como a Rio Sono, em Pedro Afonso e Gaivota, em Araguacema, certamente acolherão mais turistas sobre suas areias, tendo uma rodovia dessa magnitude passando tão perto. 

O fato é que uma obra dessa pujança deve ser vista como prioridade em Brasília, para que sua conclusão seja célere. Atualmente, está sendo construído trecho de menos de 30 quilômetros no estado da Bahia. Porém, os estados do Maranhão e Tocantins ainda sentem a falta de investimentos para o início das obras em seus territórios, pois consideramos que a conclusão de trechos nesses Estados já traria de imediato todo um dinamismo ao sistema rodoviário brasileiro, em especial a integração das regiões Norte e Nordeste.

A ATM é vigilante ao andamento dessa obra, que certamente ampliará a integração nacional, o desenvolvimento de nossos municípios e de nosso estado, que se tornará ponto estratégico de intermodalidade e multimodalidade de transporte dentro da Nação brasileira.

Jairo Mariano

Presidente da ATM e prefeito de Pedro Afonso