Cidades

CONSIDERAM ABUSIVO

Consumidores reclamam do valor cobrado na tarifa de gua em Bom Jesus

22/04/2019 17h03 - Atualizado em 23/04/2019 10h29

Da Redação 

Mais de um ano a privatização do sistema de abastecimento de água da cidade de Bom Jesus do Tocantins, consumidores ainda sofrem com problemas relacionados ao atendimento e as taxas aplicadas pela empresa Hidro Forte Administração e Operação Ltda, detentora da concessão que vai durara 30 anos. 

Em contato com o Portal CNN, moradores afirmaram que à taxa mínima, estipulada no valor de R$ 38,50, não vem sendo cumprida pela empresa que, mesmo sem registros de consumo de água, tem enviado às residências cobranças que chegam a mais de R$ 1.000,00. 

“A água está vindo um absurdo de cara, mesmo com a taxa mínima. Em março paguei R$ 487,00, já este mês chegou a conta com o valor de R$ 600,00. Não tem condições. Isso é comigo e várias outras pessoas. Gente que não sabe o que vai comer, pois agora precisa pagar uma água com um preço absurdo como esse”, reclamou a professora Josiane Neves, que mora no centro da cidade com mais três pessoas.

Outra reclamação da consumidora é a falta de atenção dada pela empresa aos problemas dos consumidores. “Nos mês de março não foi talão para minha casa e cortaram a água, sem sermos avisados. Procurei a empresa e fomos atendidos com ignorância”, completou.

Já a microempresária Marineide Nunes do Nascimento, que mora com dois filhos, faz pouco uso da água e já recebeu tarifas que chegaram a ultrapassar os R$ 200,00. “Eu só lavo roupa duas vezes na semana, faço faxina uma vez e não costumo usar tanta água, e fui obrigada a pagar um talão chorando, por um valor que eu não usei”, reclamou.

Ainda segundo Marineide, uma das justificativas da empresa para o alto consumo, que seria vazamentos, não é o caso da sua casa. “Já procuramos por vazamentos, fizemos os reparos e mesmo assim o valor só aumentou. Foi de R$ 190,00 para R$ 260,00 sem justificativa nenhuma. Isso porque ainda temos que ter dois gastos que além de pagar a água de casa tem que comprar água mineral”, argumentou ao reclamar, também, da qualidade da água.

Um morador do Setor Aeroporto, que preferiu não se identificar, afirmou que a água agora até chega na sua casa, mas destacou “que a empresa continua a praticar irregularidades”. “Ela não cumpre o que foi acordado que é à taxa mínima. Como cobram sem ter um hidrômetro para medir o consumo? Além disso, o atendimento é péssimo. A comunidade já procurou o Ministério Público, a prefeitura, os vereadores e até agora não há melhora dessa questão dos pagamentos. Precisamos fazer o quê?”, questionou.

Solução
Já a presidente da Agência Municipal de Regulamentação, Marciane Miranda, frisou que a procura pelo auxílio do órgão ainda é pequena, mas consumidores que buscaram o órgão e a concessionaria de água tiveram os problemas resolvidos. “Nós já estamos conversando com a empresa, que alega que são vazamentos e que as tarifas estão sendo reajustadas para o valor mínimo à medida que os consumidores estão procurando o escritório e relatando os problemas. Além disso, a empresa está fazendo vistorias nas residências que tiveram valores muito alterados para verificar quais são os reais problemas existentes”, explicou Marciane Miranda. Ela ainda alertou que caso o consumidor se sinta prejudicado pode buscar a ajuda da agência.

A reportagem do Portal CNN entrou em contato com a Empresa Hidro Forte, mas até o momento não obteve retorno. O espaço segue aberto para esclarecimentos.

 
Leia também:

Indignação marca nova manifestação de moradores em Bom Jesus do TO