Cidades

CASO NICOLAS

Mesmo de urgncia, cirurgia de beb com cardiopatia ainda no foi realizada

04/06/2019 12h10 - Atualizado em 04/06/2019 13h33

O bebê Nicolas Martins Fernandes, transferido para Minas Gerais no último domingo, 2, segue sem ser submetido ao procedimento cirúrgico no coração, mesmo após diagnóstico determinar urgência no caso, com possibilidade de evolução a óbito. A vaga na Santa Casa de Misericórdia, localizada em Passos (MG), era para uma internação na Unidade de Tratamento Intensivo (UTI), e não para a realização da cirurgia cardíaca, conforme relatou o pai do Nicolas, João Paulo Fernandes Almeida.

“Enquanto aguarda a situação do menino só vai agravando. Temos que correr contra o tempo porque do jeito que eu estava vendo meu filho ia morrer ali naquele hospital”, desabafou João Paulo, referindo-se ao Hospital Infantil Público de Palmas (HIPP). Segundo o pai de Nicolas, o médico teria dito que o bebê tinha apenas quatro semanas de vida. Neste sábado ele completa um mês de vida.

Mãe e criança foram transferidas para Minas no último domingo, em uma UTI aérea. O pai, que não pôde estar com a família durante a viagem, busca formas de chegar até Passos para auxiliar a esposa durante o processo. Nesta terça-feira, 4, ele vai até Brasília (DF), de onde seguirá para Uberaba (MG) e, finalmente, chegará a Passos (MG). “É uma viagem longa”, observou.

Questionada sobre previsões e prazos, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-TO) informou que, após transferência, não possuem mais controle sobre ficha do paciente. Já a Santa Casa de Misericórdia se limitou a informar que “não repassam informações sobre pacientes”.

Enquanto isso a família busca celeridade no atendimento de Nicolas.