Por dentro do Agronegcio

NOVO RECORDE

Coapa tem desempenho histrico no recebimento de milho safrinha

23/07/2019 16h05 - Atualizado em 05/08/2019 18h43
Coapa tem desempenho histrico no recebimento de milho safrinha
Colheita de milho em fazenda de associado da Coapa

Depois uma safra de soja 2018/2019 com números recordes, na qual recepcionou mais de 109 mil toneladas, a Cooperativa Agroindustrial do Tocantins (Coapa) surpreendeu novamente o setor agrícola do estado do Tocantins com outro excelente resultado. Desta vez, o volume de grãos durante a colheita do milho safrinha superou as expectativas para o ano agrícola.

A colheita deve ser finalizada na primeira quinzena de agosto e até o início desta semana as duas unidades de armazenamento da Coapa, em Pedro Afonso, haviam recebido mais de 30 mil toneladas do cereal, volume que representa um crescimento de 99,79% em relação à safrinha passada, quando foram registradas 15.052.290 toneladas.

O gerente Operacional da Coapa, Antônio Carlos Herculano, destacou a qualidade do milho recebido e o empenho da equipe para atender satisfatoriamente os produtores. “Não ocorreram problemas de qualidade no milho em todo volume recebido. Nossa equipe mostrou profissionalismo e mesmo nos momentos de pico, administrou a situação e manteve o fluxo normal de recepção”, frisou.

Credibilidade e bons negócios
Para o vice-presidente da Coapa, Alberto Mazzola, o recorde no recebimento de milho foi motivado por uma série de fatores. “O produtor aproveitou um ano que deu certo de plantar a soja cedo, conseguiu plantar a segunda safra de milho e as chuvas foram bem distribuídas. O recorde na recepção de milho significa que o produtor ainda bateu recorde na produção por hectare”, destacou ao afirmar que a credibilidade da cooperativa também auxiliou na confiabilidade dos agricultores associados que entregaram sua produção.

Com os aumentos sucessivos na recepção de grãs, o presidente Ricardo Khouri acredita que em breve a cooperativa poderá alcançar novos horizontes na efetivação de negócios e beneficiamento de grãos. “Logo teremos um volume de milho plantado na região e em todo o estado que vai proporcionar bons negócios para verticalizar, seja uma indústria de ração ou um projeto de integração de produção de proteína animal. Este é um indicativo que muito nos anima”, afirmou Khouri.

O presidente da Coapa aproveitou para parabenizar a equipe de colaboradores pela dedicação no atendimento aos produtores e por garantir um bom resultado na safra. “Tivemos um ótimo desempenho da equipe operacional da Coapa que não mediu esforços para recepcionar a safra de soja e, na sequência, a safrinha de milho e sorgo, se desdobrando e colocando muito empenho em cima do planejamento para que as metas fossem alcançadas”, completou o presidente.

Produtividade
Com uma janela de plantio favorável e clima propício, além de mais investimentos dos agricultores, a produtividade também cresceu em toda a região.

Conforme o gerente geral da Coapa, Nelzivan Carvalho Neves, a média tem superado as 100 sacas. “Ainda faltam cerca de 15 dias de colheita, com uma média de 103 a 105 sacas. Temos também um preço favorável, o que gera uma boa rentabilidade ao produtor”, disse otimista.

Sorgo
Cultivado também durante a safrinha, o sorgo é outro grão que apresentou crescimento na produção durante o ano de 2019. Foram recepcionados pela Unidade I da Coapa, 1,9 mil toneladas do grão, um crescimento de 39%, se compactado a safra de 2018, que recepcionou 1,3 toneladas do cereal.
Expedição de soja
Até o início desta semana, das 109.643.580 de soja recebidas nas unidades de armazenagem da Coapa, 80.452.984 já haviam sido expedidas. A maior parte é exportada, o restante abastece o mercado interno. Assim como o milho, a oleaginosa também está dentro dos padrões de qualidade exigidos pelo mercado.