Segurana e Justia

OPERAO ROSSETA

Polcia Civil desarticula participao feminina em faco nacional no TO; um dos mandados foi cumprido em Pedro Afonso

24/10/2019 08h00 - Atualizado em 29/10/2019 16h10
Polcia Civil desarticula participao feminina em faco nacional no TO; um dos mandados foi cumprido em Pedro Afonso
Foto: Dennis Tavares

A Polícia Civil do Tocantins, por meio da Divisão Especializada de Repressão ao Crime Organizado – DEIC Palmas deflagrou dia 24 de outubro, em Palmas e em outras cinco cidades do Estado, a Operação Rosetta, visando desarticular a participação de mulheres nos altos cargos administrativos de uma facção de renome nacional, responsável por atuação no tráfico de drogas no Tocantins.

Ao total foram cumpridos 13 mandados de prisão, sendo presos 11 mulheres e dois homens. Além da Capital, policiais civis cumpriram mandados nos municípios de Araguaína, Aliança do Tocantins, Miracema, Pium e Pedro Afonso.

Em Pedro Afonso, foi cumprido mandado na Unidade Prisional Feminina de uma criminosa que já se encontrava encarcerada.

A operação ganhou este nome em referência a Rosetta Cutolo, irmã de Rafaelle Cutolo, chefe da Nuova camorra Organizatta, uma facção criminosa de atuação na Itália. Rosetta teria orquestrado, em 1978, a fuga com requintes de ficção cinematográfica a fuga de seu irmão de uma unidade hospitalar psiquiátrica. Até aquele momento, não se tinha registros da participação feminina em altos cargos de decisão e gerenciamento de organizações criminosas.

A analogia à operação foi realizada uma vez que as investigadas possuem, todas elas, “cargos” importantes dentro da facção, gerenciando, ordenando e executando tarefas de relevância. Elas, assim como Rosetta, são mulheres com características violentas e de mentalidade voltada ao crime, como se realizassem com prazer, suas ações criminosas.

Operação
Parciciparam da operação, 14 equipes de policiais civis, como a Diretoria de Repressão à Corrupção e ao Crime Organizado – DRACCO e das Divisão Especializada em Investigações Criminais – DEIC de Palmas, Araguaína e Paraíso, com o apoio da Divisão de Repressão a Narcóticos – DENARC de Palmas e Araguaína, Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa – DHPP de Gurupi, DRACCO, DEIC Palmas, Araguaína e Paraíso, DENARC Palmas e Araguaína, DHPP de Gurupi, Delegacia de Pedro Afonso, em parceria com o Grupo de Operações Táticas Especiais – GOTE. (Com informações da SSP/TO)