Turismo e Meio Ambiente

NVEL BAIXO

Especialistas alertam que situao do rio Tocantins crtica e pode afetar reproduo dos peixes

25/11/2019 19h24 - Atualizado em 25/11/2019 21h01

Henrique Lopes

O baixo nível do rio Tocantins, registrado nesta segunda-feira, 25, chamou a atenção de moradores das cidades ribeirinhas e de especialistas, que alertaram sobre o impacto da falta de chuvas nas bacias hidrográficas do estado do Tocantins.

Desde a manhã deste domingo, 24, moradores de Pedro Afonso, Bom Jesus do Tocantins e Tupirama registraram, por meio de fotos e vídeos, uma baixa significativa do nível da água do rio, considerado um dos principais do Brasil. Bancos de arreia se formaram em vários pontos e em alguns trechos é possível caminhar de um lado ao outro do rio.

O professor e meteorologista da Universidade Estadual do Tocantins (UFT), José Luiz Cabral, relatou que a situação é crítica e vem se agravando nos últimos cinco anos, com a diminuição da quantidade de chuvas. “Esse período chuvoso está muito atípico, na verdade está faltando chuva em toda a bacia hidrográfica Tocantins-Araguaia. O volume útil dos dois reservatórios que alimenta o fluxo no rio Tocantins também está baixo. Na Serra da Mesa tem um total de volume útil muito baixo, apenas 11,87%, e no reservatório de Peixe também está baixo” afirmou. Conforme o especialista, provavelmente, algum ponto do Sistema Integrado Nacional de Geração de Energia está “segurando água”. Ainda segundo o professor, a cada ano os períodos de estiagens são mais intensos.

A falta de chuva e o assoreamento dos rios tem impactado também a reprodução dos peixes, neste período de piracema, que começou em 1º de novembro de 2018 e termina em 29 de fevereiro de 2019. “Por ser um rio de extrema importância em termos em biodiversidade, o nível baixo impede que as comunidades biológicas diminuam sua população em detrimento da alimentação e da escassez de água. Isso afeta diretamente a dinâmica ecológica impedindo que as espécies de peixes não consigam se reproduzir, afetando o número de indivíduos dessas espécies”, explicou o biólogo e mestre em Ciências do Ambiente, Aluísio Vasconcelos.

A cena das praias que se formam nas margens e leito do rio Tocantins, que antes encantavam os visitantes, agora assusta. “Eu passei para ir em Guaraí pela manhã e o rio estava normal, mas quando voltei, poucas horas depois, as praias já estavam todas expostas”, relatou o universitário Alex Rodrigues.

Investco se posiciona
Em nota, a Investco, empresa responsável pela administração e operação da Usina Hidrelétrica Luiz Eduardo Magalhães, assegurou que a unidade opera normalmente, conforme as determinações estratégicas do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) para geração de energia.

Entretanto, a Investco afirmou que na última semana ocorreram despachos de geração máxima na usina que, somados à estação seca do ano, provocaram uma baixa momentânea no nível do reservatório, atingindo Palmas e o norte do Estado, nos municípios de Lajeado, Miracema do Tocantins, Tocantínia e Pedro Afonso.

De acordo a empresa, a previsão para que o nível da água retorne ao estágio de normalidade após o período de chuvas.

Confira vídeo feito pela leitor Jackson Pereira que mostra a situação do rio Tocantins em Pedro Afonso.