Cidades

PREJUZOS E TRANSTORNOS

Pssimas condies de estradas prejudicam agricultores que produzem s margens da BR-235

11/02/2020 09h09 - Atualizado em 11/02/2020 09h19

Henrique Lopes

Apesar da estimativa de que o Tocantins ultrapasse a marca dos 5 milhões de toneladas de grãos produzidas na safra 2019/2020, o trabalho por trás dos números que movimentam a economia do estado torna-se cada vez mais difícil devido a falta de infraestrutura das estradas usadas para escoar a produção.

Em mais um ano agrícola, produtores rurais de Pedro Afonso e região sofrem com as péssimas condições das estradas, que chegam a ficar intransitáveis, aumentando o valor do transporte dos grãos e a demora no escoamento.

Por meio de vídeos e imagens, agricultores descrevem o dia a dia, que além da labuta na lavoura, ainda tem o sofrimento com problemas crônicos da infraestrutura da região como atoleiros, trechos das estradas com buracos causados pelo excesso de água e desvios em estradas que não passa por manutenção.

A realidade de caminhões atolados e estradas vicinais sem infraestrutura mínima é vivenciada pelos irmãos Leandro e Leonardo Basso, que plantaram 700 hectares de soja em uma propriedade próxima á BR-235, conhecida como Estrada da CBPO, no município de Bom Jesus do Tocantins. “Com a chuva a água já passou por cima e comeu a parte do aterro da ponte do Rio Negro, mas fora da CBPO tem um desvio de uns 14 quilômetros, que pertence ao município de Bom Jesus e que há muito tempo não vê uma máquina”, conta Leandro Basso, ao frisar que durante o período de plantio teve que arrumar por conta própria a estrada para levar os insumos agrícolas até a lavoura localizada no município de Centenário.

Já Leonardo Basso destaca que o encabeçamento da ponte sobre o Rio Negro, construída há 23 anos e finalizado em dezembro de 2019, começou a cair, mas mesmo assim o maior problema é o trecho que pertence a Bom Jesus. “Desde que compramos a propriedade nunca passou uma máquina para fazer obras na estrada e também o bueiro da BR-235. Se não resolverem, eu vou vê o que posso fazer, mas já estou cansado de fazer o trabalho que é dos municípios”, desabafa o produtor sobre a ineficiência dos gestores nos atendimentos às demandas dos produtores antes da colheita da região, prevista para começar nesta semana.

Produzindo atualmente 1.500 hectares de soja numa propriedade entre os municípios de Bom Jesus do Tocantins e Centenário, Carlos Alberto Viebrantz relata que o dia a dia dos produtores e de extrema dificuldade. “A cada ano a estrada está pior, faz quatro anos que não passam uma patrol. A estrada ainda passa caminhão, pois nós produtores nos unimos e demos uma arrumada”, frisa o produtor.

A região onde atuam os sojicultores conta com outros oito produtores de grãos e 20 famílias de pequenos agricultores que precisam de boas condições de infraestrutura para escoar a produção agropecuária.


Manutenção
Em resposta a falta de manutenção relatada pelos produtores, a Prefeitura de Bom Jesus do Tocantins frisou que cumpre cronograma de manutenção das estradas vicinais localizada na zona rural do município e que devera atender a região do Rio Negro nos próximos dias.

Já a manutenção da BR-235, bem como da ponte do Rio Negro, são de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT).