Poltica

ELEIES 2020

Pr-candidatos a prefeito, Pedro Belarmino e Eduardo Chagas descartam aliana

25/06/2020 16h25 - Atualizado em 03/07/2020 12h50

Gabriel Dias
Após circular a informação sobre a possível formação de uma chapa única, entre o vereador Pedro Belarmino (PTB) e o produtor rural Eduardo Chagas (Cidadania), para concorrer ao cargo de prefeito de Pedro Afonso, os dois, que em outra ocasião confirmaram ao Portal CNN que eram pré-candidatos ao cargo do executivo municipal, se manifestaram.

Em seu quarto mandato na Câmara Municipal de Pedro Afonso, Pedro Belarmino confirmou sua pré-candidatura ao cargo de prefeito da cidade.

"Com relação ao questionamento de abrir mão de nossa candidatura a prefeito não depende apenas de minha pessoa e sim de meus familiares, amigos e grupo político, que  vem me dando todo apoio necessário. A intenção de todos é que continuemos a caminhada, com passos firmes e sempre respeitando e honrando o povo de Pedro Afonso. Contudo, desistir ou abrir mão da candidatura a prefeito não é o nosso caminho, unir e agregar com outro grupo tudo isso pode ocorrer, dependendo da decisão de nossa base e as convenções estão chegando, momento para essas definições. Enfim, respeito todos os outros pré-candidatos, todos tem capacidade e não subestimo ninguém.", pontuou o parlamentar.

Eduardo Chagas também confirmou que segue como pré-candidato. "Sigo como pré-candidato, por enquanto isso que saiu é apenas especulação", disse em uma resposta breve à reportagem do Portal CNN.

PEC
Através de uma Proposta de Emenda Constitucional (PEC), o Senado Federal deu o primeiro passo para adiar as eleições municipais de 2020, que tem no calendário eleitoral o primeiro turno marcado para o dia 4 de outubro. O texto aprovado pelos senadores da república, por meio de votação remota em dois turnos, adia o primeiro turno do pleito para 15 de novembro, e o segundo turno marcado para 25 de outubro, será em 29 de novembro.

A mudança na Constituição Federal, que prevê que eleição deve ser realizada “no pri-meiro domingo de outubro do ano anterior ao término do mandato dos que devam suceder”. Qualquer mudança de data, por menor que seja, requer aprovação de uma PEC. O texto agora segue para Câmara dos Deputados e precisa da aprovação de ao menos 308 dos 513 parlamentares. A mudança nas datas também deve afetar as convenções partidárias, que estão marcadas para ocorrer entre 20 de julho e 5 de agosto. As mudanças nas eleições 2020 são por conta da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e as medidas sanitárias que precisam ser tomadas para evitar sua disseminação.