Por dentro do Agronegcio

PRECARIEDADE

Precariedade em trecho das BRs 153 e 235 leva Coapa a cobrar DNIT

19/05/2020 17h56 - Atualizado em 21/05/2020 08h58

Mato alto que compromete a visibilidade dos motoristas e buracos ao longo da pista. Assim se encontra atualmente o trevo da BR-153 que dá acesso da BR-235, rodovia federal utilizada para quem vem a Pedro Afonso e outros municípios da região.

A situação fez com que a Cooperativa Agroindustrial do Tocantins (Coapa) cobrasse providências do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), mas segundo Ricardo Khouri, presidente da entidade que tem atualmente 237 cooperados, o órgão federal se limitou a informar que a empresa responsável não realizou os serviços e a licitação para manutenção deve ser cancelada.

Ainda segundo Ricardo Khouri, no último dia 15 de maio, propôs à superintendência do DNIT no Tocantins que a cooperativa enviasse uma equipe de colaboradores para roçar o mato alto no trevo da BR-153, mas foi informado que precisaria enviar uma carta e o órgão federal e aguardar todo o processo burocrático ser concluído.

O dirigente afirmou que os buracos no trecho da BR-235, que tem cerca de 45 quilômetros, estouram pneus e danificam caminhões e outros veículos, trazendo prejuízos financeiros aos usuários, além do risco de causar acidentes.

“Caminhoneiros que transportam grãos e insumos agrícolas dizem que não querem mais fazer frete para Pedro Afonso e outros municípios da região porque o trecho está muito ruim. Está perigoso, quando acontecer uma tragédia já vai ser tarde para acudir”, disse Ricardo Khouri, para em seguida afirmar que o “governo do Estado quer colocar imposto para transporte, mas não cuida nem do básico”.

Por último, o presidente da Coapa lembrou que a região de Pedro Afonso é uma das maiores produtoras de grãos do Tocantins e contribui significativamente para a economia estadual.

Veja vídeo que mostra buracos no trecho: