Cidades

SEM VALIDADE

Famlia diz que rapaz preso com documentos falsos vtima de autoescola

03/10/2020 10h21 - Atualizado em 13/10/2020 09h10
Famlia diz que rapaz preso com documentos falsos  vtima de autoescola
Foto ilustrativa

Kaio Costa

Um condutor de veículos categoria D foi preso em flagrante na sexta-feira, 2, pela equipe do Núcleo de Inteligência do Detran-TO, sede Palmas, ao tentar incluir cursos de especialização em sua CNH portando documentos falsos. A prisão foi registrada na 1ª Central de Flagrantes da Polícia Civil do Tocantins. O rapaz foi encaminhado à Casa de Prisão Provisória de Palmas (CPP Palmas) e liberado no sábado, 3. O nome das pessoas foi suprimido para resguardar a identidade dos envolvidos.

A confusão aconteceu porque o certificado de conclusão do curso de especialização feita em uma autoescola de Pedro Afonso não possui validade alguma. O certificado cita cursos relacionados à Movimentação Operacional de Produtos Perigosos (MOPP), Transportes Coletivos de Passageiros e Transportes Emergenciais com carga horária de 50 horas e 100% de aproveitamento, assinado e reconhecido firma em cartório.

O Portal CNN entrou em contato com a esposa do rapaz que foi preso e ela relatou, com tristeza, a dificuldade de entrar em contato com o responsável pela emissão do certificado. “Meu esposo fez curso para incluir essas atividades na CNH porque estava buscando um serviço. Depois de muita dificuldade, conseguimos o certificado com a autoescola, inclusive enviamos o PDF para a empresa que está contratando”, iniciou o relato. “O dono da autoescola entregou um papel para que meu esposo fosse no Detran pagar taxa dessa inclusão, e assim ele o fez. Ele recebeu prazo de 15 a 20 dias para receber a atualização, mas nada de ter chegado ainda”, continuou.

O mal-entendido teria começado aqui: munido de todos os documentos emitidos pela autoescola, o rapaz foi à sede do Detran, em Palmas, nesta sexta, onde ficou constatado a falsidade dos certificados, o que resultou em sua prisão em flagrante. “Estamos com documentos de pagamento de cursos, comprovante assinado, recibo de conclusão com carga horaria de 50 horas e 100% de aproveitamento, tudo assinado e registrado e firmado em cartório. Um inocente está sendo prejudicado! Imagina pessoas mais carentes que buscam, mesmo com dificuldades financeiras, se especializar? Mas as providências cabíveis que poderíamos tomar, a gente tomou!”, afirmou a esposa do rapaz.

O Portal CNN tentou contato com o empresário responsável pela Autoescola envolvida no caso, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria.