Poltica

ELEIES 2020

Candidatos a prefeito comeam a prestar contas das campanhas; confira os valores

20/10/2020 07h58 - Atualizado em 23/10/2020 17h11

Gabriel Dias

Até este domingo, 25 de outubro, os partidos políticos (candidatos) devem enviar à Justiça Eleitoral, por meio do Sistema de Prestação de Contas Eleitorais (SPCE), a prestação de contas parcial, que conste o registro da movimentação financeira e/ou estimável em dinheiro ocorrida desde o início da campanha até o dia 20 de outubro.

O Portal CNN levantou o que os candidatos a prefeito de Pedro Afonso, Bom Jesus do Tocantins e Tupirama declaram ter recebido até agora e quais serviços estão contratando.

Nos três municípios o limite de gastos para os postulantes ao cargo de prefeito é de R$ 123.077,42.

De acordo com o portal Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais, plataforma desenvolvida pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), alguns candidatos dessas três cidades ainda não começaram a divulgar a parcial da prestação de contas.

Pedro Afonso

Candidato a prefeito pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Benedito Moura Medeiros, o Bené, declarou ter recebido do partido, até o momento, o valor de R$ 9.058,87. Até o fechamento desta reportagem, o postulante da coligação “Pedro Afonso Para Todos” não havia especificado com o que o recurso está sendo gasto.

Outro nome da corrida eleitoral para ocupar a cadeira de prefeito da cidade, Eduardo Chagas (Cidadania) declarou ter recebido R$ 30 mil da sua legenda, que faz parte da “Coligação A Força do Povo”, formada por Cidadania e MDB. Do valor recebido, R$ 10.941,50 já foram destinados à publicidade, sendo R$ 7.164,50 em materiais impressos na empresa Color Print Gráfica e Editora Eireli e R$ 3.750,00 com adesivos pagos a um fornecedor chamado Euclides Pereira Noleto.

Até esta segunda-feira, 19, os outros três candidatos a prefeito, Pedro Belarmino (PTB), Joaquinzinho (PDT) e Coelho (PSC), ainda não tinham apresentado os dados parciais da prestação de contas.

Tupirama

Os dois candidatos a prefeito da cidade já apresentaram alguns dados sobre o recebimento de recursos e seus gastos. Dr Natan (PSD), candidato à reeleição, doou R$ 10 mil para sua campanha. Ainda não há registro de como o dinheiro está sendo gasto pela coligação “O Novo Tempo Continua”, formada por Cidadania e PSD.

Já o empresário Ormando Brito Alves (MDB), tem declarado, até o momento, o recebimento de R$ 26 mil. Desse total, R$ 25.400,00 foram doados pelo próprio candidato e R$ 600,00 por José do Santos de Oliveira Filho. Ormando faz parte da coligação “Competência e Transparência”, formada por MBD e PTB, e segundo a plataforma do TSE, as despesas contratas por ele somam R$ 20.083,80. Foram pagos em publicidade por materiais impressos, sendo: R$ 10.372,90 a Lemes e Antunys LTDA; R$ 7.280,90 a Leonardo Saraiva Rezende; e R$ 2.430,00 a Helenir de Araujo Sales.

Bom Jesus do Tocantins

Após o indeferimento da candidatura de Gerson Noronha (PSL), a cidade tem três nomes na disputada para o cargo de prefeito, mas apenas um deles já apresentou dados parciais da prestação de contas. Bruno Neves (Cidadania) declarou ter recebido até o momento R$ 8.237,50, mas as despesas já somam R$ 10.087,50.

A candidatura dele recebeu R$ 2.855,00 de Cicero Neves Barbosa Junior, R$ 2.855,00 de Cicero Neves Barbosa, R$ 2.400,00 do próprio Bruno Neves e R$ 127,50 de Maria Helena Pereira Neves. Foram gastos: R$ 5.237,40 na Gráfica Pittoni LTDA; R$ 4.250,00 com os serviços de Viviane Souza Porto e R$ 600,00 na Gráfica e Editora União LTDA.

Na próxima quinta-feira, 21, começa o prazo legal para que todos os candidatos iniciem a prestação de contas parcial da campanha, isso inclui os outros dois candidatos de Bom Jesus do Tocantins: o atual prefeito Paulo Hernandes (DEM) e a Professora Irani (PSD).