Por dentro do Agronegcio

CONHECIMENTO NO CAMPO

Pesquisa da Coapa avalia vigor e germinao de sementes de soja

14/11/2020 10h42 - Atualizado em 19/11/2020 09h24

Quem é do meio já sabe: o agricultor que utiliza sementes de alto vigor aumenta a possibilidade de ter uma lavoura mais produtiva. Desta forma, é de suma importância conhecer muito bem a qualidade das sementes que serão utilizadas na plantação, para que a produtividade seja sempre elevada.

Pensando nisto, na Safra 2020/2021, a Cooperativa Agroindustrial do Tocantins (Coapa) desenvolve um experimento para avaliar a qualidade fisiológica de sementes de soja, levando em consideração a germinação e o vigor. A germinação é o percentual de sementes que originam plântulas (embrião vegetal já desenvolvido e ainda encerrado na semente ou também, planta recém-nascida). Já o vigor é a soma de atributos que conferem à semente o potencial para uma emergência rápida e uniforme, além do desenvolvimento sob condições diversas do ambiente.

Conforme o gerente da Unidade Técnica da cooperativa, Eduarte Bonafede, o intuito do ensaio é verificar a porcentagem de germinação e vigor, e se as sementes estão aptas para o plantio, como forma de orientar os sojicultores associados da Coapa.

Parte dos lotes de sementes, a maioria do tipo precoce, é proveniente da empresa Unigell, instalada no município de Lagoa da Confusão (TO). Lá, a coleta é realizada pela colaboradora da Coapa Lucilene Alves Ferreira. As demais amostras são coletadas em Pedro Afonso nos lotes comprados das empresas Sementes J&H, Sementes Goiás, Sementes Talismã, Sementes Campeã, Sementes Limagrain, Sementes Da Soja, Sementes KWS, Nidera, Basf e SeedCorp

Para realizar a pesquisa, iniciada no último dia 1º de outubro, foi implantada uma estufa com quatro canteiros, cada um com 10 metros comprimento por 3 metros de largura. Na área experimental construída em um espaço dentro da Unidade de Armazenagem de Grãos da cooperativa é realizado o tratamento das sementes que depois são cultivadas nos canteiros preparados com terra normal e uma camada superior com 20 centímetros de areia da praia – essa desinfectada para evitar a contaminação das sementes.

Desde o plantio até o final do ciclo produtivo, a irrigação é realizada três vezes ao dia.

Responsável por acompanhar o estudo, a engenheira agrônoma Isadora Narciso Cerqueira Morais explicou que são feitas duas avaliações após o cultivo das sementes: uma no oitavo dia para analisar a germinação e outra no décimo dia – quando são colhidas as mudas de soja –, para verificar o vigor. Ainda segundo ela, após análises rigorosas são emitidos laudos técnicos que atestam as características das sementes.

O trabalho também tem apoio do estagiário Walisson dos Santos Silva, estudante do 10º do período do curso de agronomia.
A avaliação segue até o próximo mês de dezembro e a Coapa pretende realizar estudo semelhante com sementes que serão utilizadas em 2021, no plantio da safrinha de milho.