Poltica

OFCIO

Prefeito de Recursolndia pede informaes Agncia de Transportes e Obras sobre retomada de obras da TO-428

06/04/2021 17h38 - Atualizado em 06/04/2021 17h49

O prefeito de Recursolândia, Vinicius Barbosa (MDB), encaminhou ofício à presidente da Agência Tocantinense de Transporte e Obras (Ageto), Juliana Passarin, solicitando informações sobre as condições da TO-428, rodovia estadual que liga a cidade de aproximadamente 4.500 habitantes ao município de Santa Maria do Tocantins.

O município é uma das últimas cidades tocantinenses isoladas, sem que nenhuma via de acesso seja pavimentada, situação já mostrada diversas vezes pelo Portal CNN.

No documento protocolado na manhã desta terça-feira, 6, o gestor lembrou que a rodovia “tira Recursolândia do isolamento”, e suas péssimas condições gera muitos questionamentos dos usuários. “E por essa razão, somos questionados constantemente pela população sobre a real situação que se encontra essa rodovia e o que estamos fazendo para que as obras da pavimentação ora paralisadas, sejam retomadas”, argumentou Vinicius Barbosa.

O prefeito, que está em seu primeiro mandato, também questionou o Governo do Tocantins por que as obras de pavimentação foram paralisadas, para onde foram destinados os recursos que estavam na conta para execução dos serviços e se existe alguma previsão para retomada da pavimentação do trecho de cerca de 78 quilômetros da TO-428. “Será necessário nova licitação para contratação de empresa ou a mesma dará continuidade?”, completou Vinicius Barbosa, ao destacar a necessidade de satisfazer os anseios da comunidade que cobra por respostaas. 

Irregularidades

O contrato de quase R$ 65 milhões para a pavimentação da TO-428 entre Recursolândia e Santa Maria do Tocantins foi rescindido pelo Governo do Estado em 2019. A medida foi tomada seguindo recomendação do Ministério Público Federal depois que a Polícia Federal começou a investigar a obra.

A pavimentação da TO-438 é um dos serviços supostamente superfaturados que foram alvo da Operação Ápia, iniciada em 2014. A construtora que venceu o contrato, a Barra Grande Construções, já recebeu parte do pagamento.

Leia também:

Buracos e atoleiros prejudicam acesso a Recursolândia e Centenário